Scanners móveis são utilizados no combate ao contrabando nas fronteiras do país

Maxim oferece cursos que capacitam profissionais a manusearem esses equipamentos

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Não é de hoje que as estradas, avenidas e vias que fazem fronteiras com outros países no Brasil servem como meio de transporte para o contrabando, seja ele de armas, drogas, produtos radioativos e outros artigos ilícitos.

Para combater o problema, existem os scanners móveis, equipamentos de alta tecnologia para fiscalização de veículos que atravessam as fronteiras com suspeita de tráfico, especialmente de drogas e armas, e descaminho. As máquinas, chamadas de “raio-x do crime” por policiais rodoviários federais, chegam a ter penetração mínima de 290 milímetros em aço.

Existem dois tipos de scanners: os móveis e os fixos. O fixo permite realizar 80 inspeções por hora. Já os móveis, que são estratégicos e podem ser transportados para outros locais, 25 vistorias por hora. O principal objetivo da tecnologia é aumentar a segurança e o controle do fluxo comercial nas áreas de fronteira em prol da segurança nacional, dos cidadãos, da economia e do emprego no Brasil.

Samuel Queiroz, instrutor da Maxim Cursos, atestou a eficiência dos scanners móveis. “É importante termos os equipamentos em funcionamento para combatermos o contrabando de uma forma geral. Ele também atua em rotas alternativas e é eficiente contra esse tipo crime”, disse.

Ainda segundo o instrutor, é essencial ter profissionais qualificados manuseando os scanners. “Devido a utilização do raio-x na máquina, é crucial que os profissionais saibam o que estão fazendo devido ao grau de responsabilidade que o scanner leva consigo”, acredita Samuel.

A Maxim Cursos oferece cursos especializados na área industrial, como a pós em Proteção Radiológica em Aplicações Médicas, Industriais e Nucleares e o Curso de Formação em Radiologia Industrial. Para conhecer mais os cursos, basta acessar: www.maximcursos.com.br/new/todos-os-cursos/.