Prevenção e segurança: o manuseio adequado de materiais radioativos

Ao longo dos anos, a humanidade pôde conhecer os perigos das radiações ionizantes. Embora apresente inúmeros benefícios à saúde, a radiação, utilizada de forma descontrolada, pode ser letal.
Ela pode danificar o material genético, causar mutações no aparelho reprodutor e provocar reações na pele.

Por isso, os profissionais que lidam diariamente com materiais radioativos precisam se prevenir e executar seus trabalhos estritamente baseados nos princípios da proteção radiológica. Estabelecidos como medidas para proteger os indivíduos e o meio ambiente contra possíveis danos causados pela radiação ionizante resultante de fontes produzidas artificialmente, esses princípios levam em consideração a necessidade e o resultado da prática, o tempo e o nível de exposição, além limitar as doses de radiação.

É sempre importante certificar-se de que os procedimentos são realizados com segurança e por profissionais devidamente habilitados. Atentas a essa necessidade, empresas que manipulam esses materiais buscam sempre por pessoas com uma formação teórica e prática que leve em consideração recomendações e regulamentações nacionais e internacionais sobre a proteção radiológica e suas implementações. A Maxim oferece o curso de Pós-Graduação em Proteção Radiológica em Aplicações Médicas, Industriais e Nucleares para atender às necessidades desses profissionais na formação e aquisição de uma sólida base em proteção radiológica e segurança de fontes radioativas.

 As empresas que trabalham com materiais ionizantes precisam preocupar-se em seguir algumas regras básicas. É indispensável delimitar zonas e áreas de acesso controlado e vigiado e higienizar as mãos antes e depois do manuseio com o material. Além disso, é obrigatório utilizar todo equipamento de segurança descrito ou não no Programa de Proteção Radiológica (aventais, óculos, luvas, entre outros). O dosímetro é um desses equipamentos e torna-se essencial, já que tem como objetivo determinar a exposição de radiação recebida pelo usuário em um determinado período de tempo. A sua utilização é exigida para operadores de equipamentos emissores de radiação em clínicas radiológicas, odontológicas ou médicas, assim como em indústrias e laboratórios.

Os equipamentos de proteção individual (EPIs) são utilizados para prevenir todos os riscos ameaçadores da sua saúde ou segurança durante o exercício de uma determinada atividade. No entanto, apenas os EPIs não são sinônimo de segurança, é preciso formação adequada para executar as atividades que possam colocar em risco a vida dos indivíduos.