O sucesso inesperado dos Raios X

Uma das primeiras radiografias realizadas por Röntgen mostra a mão esquerda de sua mulher, Anna Bertha Ludwig. (Getty Images)

Uma das primeiras radiografias realizadas por Röntgen mostra a mão esquerda de sua mulher, Anna Bertha Ludwig. (Getty Images)

A descoberta dos raios X é atribuída a um sucesso inesperado durante os estudos do físico alemão Wilhelm Conrad Röntgen (1845-1923). Em 1895, enquanto professor na Universidade de Würzburg, na Alemanha, Röntgen se dedicava aos experimentos com tubos de Crookes, um tubo de vidro dentro do qual um condutor metálico aquecido emite elétrons. Os tubos, inventados pelo inglês William Ckrookes (1832-1919) anos antes, deram origem aos estudos do raio X, já que, além de emitir raios catódicos (feixes de elétrons), emitia também um tipo de radiação de alta energia até então desconhecida.

 

Diante de muitas especulações, a comunidade acadêmica e a sociedade puderam perceber, após muitas pesquisas, a importância da descoberta para a medicina, tecnologia e estudos científicos. Em poucos anos, as técnicas de detecção por imagens se aprimorou e passaram a fazer parte do da lista de exames diagnósticos. Os raios X também contribuíram para o desenvolvimento de aparelhos de ressonância magnética e ultrassonografia, e para o descobrimento e avanço da medicina nuclear.

 

A Maxim oferece cursos especializados na área industrial, como a pós em Proteção Radiológica em Aplicações Médicas, Industriais e Nucleares e o Curso de Formação em Radiologia Industrial. Para conhecer mais sobre os cursos, basta acessar: www.maximcursos.com.br/new/todos-os-cursos/.