Posts

Maxim participa da Conferência Internacional sobre Segurança Nuclear

Tendo como tema comprometimento e ação, a conferência serviu de espaço para discutir o  contexto atual e futuros desenvolvimentos na área

Alexandre Lima - Representante da Maxim

Alexandre Lima – Representante da Maxim Cursos

Seguindo o sucesso da Conferência Internacional sobre Segurança Nuclear: Reforçando os Esforços Globais, realizada em 2013, a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) organizou nesta semana mais um evento sobre o tema. Realizada na sede da AIEA, na Áustria, o encontro reuniu milhares de pessoas e mais de 120 representantes dos Estados-Membros, que compartilharam conhecimento técnico e expertise sobre a área. O fórum global discutiu questões ligadas ao contexto atual e futuros desenvolvimentos da segurança nuclear.

Este ano, o tema do encontro é comprometimentos e ações que podem ser realizados nos âmbitos científico e tecnológico para a promoção da proteção. Foram realizadas mais de 30 sessões técnicas paralelas sobre questões científicas, técnicas, jurídicas e regulamentares específicas relacionadas com o tema. Os resultados dessas discussões servirão de base para o Plano de Segurança Nuclear da AIEA, que será adotado de 2018 a 2021.

Durante premiação de jovens cientistas no evento, o diretor-geral da AIEA Yukiya Amano,  fez questão de encorajar estudantes a considerar a carreira em ciência e tecnologia nuclear. Segundo Amano, a premiação “oferece à população jovem uma oportunidade de contribuir com a prosperidade para os países dos próprios participantes e do mundo inteiro”. Complementando a opinião de Amano, Tim Andrews, Chefe do Programa de Desenvolvimento e Seção de Cooperação Internacional, aponta que os jovens têm o potencial de fornecer novos e poderosos insights para o futuro da segurança nuclear.

 

Camila Araújo - Tecnóloga em Radiologia representante da Maxim Cursos

Camila Araújo – Tecnóloga em Radiologia e representante da Maxim Cursos

A conferência é o ambiente propício para interação entre empresas de várias partes do mundo, tanto na área educacional, como na área de consultoria técnica, além possibilitar o intercâmbio de conceitos entre os conferencistas. Buscando esta troca de ideias que eventos como este promove, a Maxim esteve representada pela tecnóloga em radiologia, Camila Araújo. Segundo a nossa representante, a “participação [neste evento] me fez enxergar que o Brasil está muito bem representado no contexto internacional, mas precisa ampliar seus recursos humanos e tecnológicos para disseminar melhor a cultura de segurança no país. A Maxim vem contribuindo com essa disseminação através do ensino, seja por meio de seus treinamentos, ou por meio de palestras durante eventos promovidos por faculdades e universidades”.

Mecanismo de segurança, o uso do scanner corporal nos aeroportos do Brasil ainda não possui a devida regulamentação

Desde que a ameaça terrorista aumentou seu poder de alcance pelo do mundo, diversos países viram a necessidade de sofisticar os procedimentos de segurança nos aeroportos. Diante desse cenário, o scanner corporal tornou-se uma forma eficiente para assegurar as revistas dos passageiros.

Assim como os aparelhos de ressonância magnética, o bodyscan consegue reproduzir um modelo 3D de pessoas e objetos por meio de ondas de radiofrequência que não ultrapassam o corpo e são refletidas para vários receptores posicionados em diferentes ângulos. Apesar de apresentar algumas vulnerabilidades ou “pontos cegos”, o aparelho torna os contornos dos corpos visíveis, o que possibilita enxergar objetos estranhos, como cápsulas de drogas, armas ou bombas.

Nova Imagem (4)

Inicialmente utilizados para complementar ou substituir detectores de metal, os bodyscanners começaram a operar em aeroportos americanos a partir de 2007. Em 2010, o Departamento de Estado Americano doou ao governo brasileiro quatro máquinas de bodyscan para atuarem nas revistas de passageiros dos principais aeroportos do país. Nos últimos meses, o uso dos equipamentos no Brasil se intensificou diante do aumento de pessoas nos aeroportos por conta da Olímpiada.

Ainda que seja considerada uma maneira eficiente na proteção contra o terrorismo e no combate ao tráfico de drogas, a utilização desses equipamentos para a inspeção corporal gera críticas e dúvidas em relação à privacidade e preocupações com a saúde. Como qualquer outro aparelho que tenha como componente material radioativo, os bodyscanners emitem radiação, mesmo que de forma controlada, além de deixar à mostra as partes íntimas dos indivíduos inspecionados. Por isso, é fundamental que a operação desses aparelhos seja regulamentada e o acompanhamento da atividade seja realizado por órgãos competentes.

Profissionais devidamente habilitados devem controlar os aparelhos, a fim de evitar que os indivíduos inspecionados sejam expostos à radiação maior do que o permitido pela Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN). De acordo com a Lei 7.394, que regula o exercício da profissão de radiologia, “os trabalhos de supervisão das aplicações de técnicas em radiologia, em seus respectivos setores, são da competência do Técnico em Radiologia”. Ainda, os operadores dos bodyscanners devem ter conhecimentos em anatomia e análise de imagens, para que a análise da inspeção seja precisa.

Em meio ao crescimento da demanda para a utilização desses aparelhos em aeroportos do país e em outros tipos de estabelecimento, como os presídios, o mercado de segurança pública irá abrir muitas vagas para técnicos e tecnólogos em radiologia. No Brasil, ainda não há um norma que regulamente a operação dos bodyscanners, mas a CNEN está preparando uma norma específica para o licenciamento e operação do bodyscan.

Maxim recebe Emico Okuno

No dia 13 de agosto, a Maxim recebeu uma ilustre convidada no seu curso em São Paulo, a doutora em Física pela USP, Emico Okuno. Com ampla experiência e bagagem em física médica e uma grande biografia sobre o tema, além de ser referência mundial em proteção radiológica, Emico conversou com cerca de 80 alunos e alunas da pós-graduação em Proteção Radiológica e do Curso de Formação em Radiologia Industrial

.Emico

A presença de Emico teve como objetivo contribuir com a formação dos novos profissionais da área. “A Dra. Emico contribui para uma formação sólida em proteção radiológica. A professora se dedicou à pesquisa e à melhoria na área e é um exemplo para nossos alunos”, comentou o coordenador de pós-graduação da Maxim, Samuel Queiroz.

Além da palestra, a Maxim passará a utilizar o livro “Física das Radiações”, de Emico, em sua bibliografia. “A doutora Emico é referência mundial em proteção radiológica. No Brasil, a já lançou inúmeros livros que envolvem física das radiações, biofísica, efeitos biológicos e outros. Ela apresentou de forma inédita o seu mais novo livro que será publicado em breve”, destacou Samuel.

Emico 3

Emico foi pesquisadora na área de Raios Cósmicos, em parceria com o Prof. Cesare Mansueto Giulio Lattes, na década de 60. Na mesma época, realizou um estágio de três meses no Ryerson Laboratory, da Universidade de Chicago onde trabalhou com o Prof. Masatoshi Koshiba, Prêmio Nobel de Física em 2002. Possui graduação pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo (1960) e doutorado em Física pela Universidade de São Paulo (1971). Fez estágio de pós-doutorado no Istituto di Física della Universtà degli Studi di Parma, entre 1971 e 1973.

Especialista renomada em efeitos biológicos das radiações ionizantes, Emico Okuno ministrará palestra para alunos da Maxim

Livro da pesquisadora será incluído no material didático dos cursos

Capa Emico Okuno-1

No próximo sábado (13), a Maxim Cursos receberá a doutora em Física pela USP, Emico Okuno, que ministrará uma palestra para os alunos e alunas da pós-graduação em Proteção Radiológica e do Curso de Formação em Radiologia Industrial, em São Paulo. Emico é referência na área de física médica (efeitos biológicos das radiações ionizantes e não-ionizantes, biomecânica, proteção radiológica, dosimetria termoluminescente e propriedade de materiais) e é autora e coautora de sete livros importantes sobre o tema, sendo dois deles traduções de obras estrangeiras. Por isso, sua participação no curso é de extrema importância para a formação dos alunos.

“Faz parte do curso o assunto sobre efeitos biológicos das radiações ionizantes e proteção radiológica, temas muito importantes na formação (graduação ou pós-graduação) em Proteção Radiológica e Radiologia. O interesse e experiência da professora Emico no tema permitirá aos alunos uma interação muito proveitosa com uma pesquisadora que contribui significativamente para o progresso da ciência, em especial da Física Médica no Brasil”, destaca Dr. Almy Anacleto Rodrigues Da Silva, físico da USP, especialista em Proteção Radiológica.

A participação de Emico no curso continuará após a palestra e a Maxim incluirá o livro “Física das Radiações” no seu material didático. “O livro aborda em linguagem acessível para várias áreas de formação os assuntos sobre a física das radiações”, comenta Dr. Almir.

A palestra acontece a partir das 13h30, na Rua Vergueiro,2387, Vila Mariana, em São Paulo. O evento será aberto ao público, que deve apenas confirmar presença pelo e-mail treinamento@maximcursos.com.br. A palestra também será transmitida ao vivo pela fanpage da Maxim: https://www.facebook.com/maximcursos/.

Sobre a palestrante

Emico foi pesquisadora na área de Raios Cósmicos, em parceria com o Prof. Cesare Mansueto Giulio Lattes, na década de 60. Na mesma época, realizou um estágio de três meses no Ryerson Laboratory, da Universidade de Chicago onde trabalhou com o Prof. Masatoshi Koshiba, Prêmio Nobel de Física em 2002. Possui graduação pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo (1960) e doutorado em Física pela Universidade de São Paulo (1971). Fez estágio de pós-doutorado no Istituto di Física della Universtà degli Studi di Parma, entre 1971 e 1973.

 

 

Curso de Formação em Radiologia Industrial tem ótima procura e é recomendado por alunos de Fortaleza

Expectativa é de turma cheia em junho

O curso de Formação em Radiologia Industrial, oferecido pela Maxim Cursos, fornece aos alunos conhecimentos teóricos e práticos sobre Proteção Radiológica, Radiografia Industrial, Medidores Nucleares, Irradiação Industrial, Técnicas Analíticas e outras aplicações industriais das radiações ionizantes. Ele é o mais completo da área industrial e pré-requisito para atuar nas áreas de inspeção de segurança não invasiva (radiografia em portos, aeroportos, fronteiras etc.), inspeção industrial (radiografia utilizada no controle de qualidade em peças, soldas, indústrias petroquímicas, estaleiros etc.) e em outras áreas relacionadas.

O Centro de Educação Técnica e Tecnológico – Cetta, parceiro da Maxim em Fortaleza, promove o curso a seus alunos no Ceará. Segundo José Milton de Castro Brito, da Cetta, a expectativa que cercam as aulas são as melhores possíveis. “De acordo com os nossos cálculos, teremos uma turma numerosa no mês de junho. As inscrições estão caminhando muito bem”, comemorou José Milton.

Ao ser perguntado como anda o mercado capacitado para receber alunos formados no curso de Radiologia Industrial, Milton garantiu o pioneirismo do Ceará e mostrou ter esperanças no futuro. “Fomos os primeiros a oferecer o curso na área. O mercado cada vez mais está abrindo novas oportunidades para os formados que buscam uma estabilidade”, disse.

Se tratando da questão da satisfação dos estudantes, também há o que festejar. “Temos alunos felizes aqui em Fortaleza. Eles estão, sem dúvidas, satisfeitos com os resultados do curso”, garantiu.

Se formado no curso, o aluno estará apto para operar qualquer tipo de emissor de radiação ionizante industrial e, além do cargo de operador, poderá assumir o cargo de técnico de radioproteção ou, até mesmo, supervisor de proteção radiológica substituto, desde que comprove a conclusão do nível superior. A atuação abrange diversas áreas da indústria, dentre elas: o setor petroquímico e petrolífero, metalúrgico, papel e celulose, eletromecânico, naval, nuclear, automotivo, mineração, siderúrgico, bélico, segurança em portos e fronteiras etc. O aluno precisa ser formado como técnico ou tecnólogo em Radiologia ou estar em fase de conclusão para se matricular no curso.

Para se inscrever nas próximas turmas na Maxim, basta acessar http://migre.me/t5LFC.  Para ter mais informações sobre o curso na Cetta Cursos, entre em contato pelo telefone (85) 3023-7083.

Mercado de trabalho: alunos da Maxim Cursos contam como uma pós-graduação pode influenciar em suas carreiras

man-person-apple-iphone

Foi época em que apenas uma graduação bastava para conseguir se destacar no mercado de trabalho. Os empregadores de hoje em dia dão preferência a quem possui uma pós-graduação voltada para a área da vaga oferecida. Sem dúvidas, o que faz a diferença é a especialização, já que com o excesso de ofertas das instituições de curso superior, ser graduado é considerado uma coisa básica pelos recrutadores.

Marlylton Rebouças é pós-graduado na segunda turma de Fortaleza em Proteção Radiológica. Para ele, que escolheu a Maxim pela qualidade dos cursos, a pós serviu como uma oportunidade de fazer a prova da Comissão Nacional de Energia Nuclear – CNEN. “Conheci a Maxim pela internet, fiz a matrícula e pude atestar a qualidade do curso. O mais importante para mim foi poder estar pronto para realizar a prova da CNEN, que era o meu desejo”, afirmou Marlylton, que ainda deixou um conselho aos alunos: “É um curso que vale a pena. Todo conhecimento é válido, ainda mais se for bom como a Maxim”.

Perto de apresentar o TCC para se formar, Stephannie Lourenço também cursa a pós de Proteção Radiológica, só que no Rio de Janeiro. “A Maxim era a única que atendia de forma precisa o que eu buscava e os horários flexíveis também me agradaram”, conta Stephannie. Dedicando-se totalmente ao término do curso, a carioca ainda não trabalha na área, mas confia que a pós será um trampolim no mercado de trabalho. “Tenho a intenção de agregar novos temas envolvendo a radiologia, principalmente na área industrial. Acredito que todo o conteúdo oferecido no curso me capacitará para enfrentar o mercado”, afirmou a aluna.

A Maxim Cursos oferece cursos especializados nas áreas médica, como Imaginologia e Radioterapia, e na área industrial, com a pós em Proteção Radiológica em Aplicações Médicas, Industriais e Nucleares e o Curso de Formação em Radiologia Industrial. Para conhecer mais os cursos, basta acessar http://maximcursos.com.br/new/todos-os-cursos/.

Polo industrial brasileiro, São Paulo tem carência de profissionais para o setor de radiologia

Presidente do Sindicato de Tecnólogos, Técnicos e Auxiliares em Radiologia diz que a falta de qualificação é principal impedimento para a atuação na área

Centro_SP2

São Paulo é o polo econômico do Brasil e concentra as principais industrias e empresas do país. Milhões de brasileiros migram para o estado, na esperança de conseguir uma colocação no mercado de trabalho. Cidade mais populosa do Brasil e a cidade brasileira mais influente no cenário global, São Paulo é considerada a 14ª cidade mais globalizada do planeta.

Para a área de radiologia industrial, a realidade não é diferente. São Paulo concentra inúmeras empresas e industriais que utilizam radiação ionizante no seu controle de qualidade e segurança e, por isso, sempre há postos de trabalho para serem ocupados. O que falta é a qualificação, como nota Sincler Lopes, presidente do Sindicato de Tecnólogos, Técnicos e Auxiliares em Radiologia – Sintaresp: “sempre há vagas a serem ocupadas por profissionais devidamente qualificados – considerando ainda que são poucos os profissionais devidamente especializados nesta área. Deste modo, entendemos que o setor de radiologia industrial está carente de profissionais”.

A qualificação desse profissional é fundamental para a boa atuação na área e para a segurança pessoal e coletiva das industriais. A falta de conhecimento, segundo Sincler, é o principal impeditivo para técnicos e tecnólogos desejam atuar na área de Radiologia Industrial: “os cursos profissionalizante dificilmente conseguem esmiuçar a matéria com a devida propriedade. Por isso, cursos de especialização são determinantes para o mercado de trabalho. Somente assim, entendo que o profissional poderia atuar protegendo a si, a coletividade e ao processo industrial que o mesmo está atuando”.

De olho nas oportunidades e na necessidade do mercado de trabalho em São Paulo, a Maxim está com três cursos na cidade: curso de formação em Radiologia Industrial, pós-graduação em Proteção Radiológica e pós-graduação em Radioterapia. De acordo com Samuel Queiroz, coordenador de pós-graduação da Maxim, estar na cidade representa muito para a empresa: “São Paulo é onde contem o maior numero de empresas licenciadas e autorizadas pela CNEN para atuar com fonte emissora de radiação ionizante. Com isso, percebe-se que a cidade tem o maior mercado de trabalho e onde necessita de maior mão de obra qualificada para esse assunto tão específico que é proteção radiológica. Por isso que é muito importante estarmos nesse mercado, levando competitividade ao mercado local, por conta da qualidade dos nossos treinamentos, fazendo com que esses profissionais entrem no mercado com mais capacidade e com que o mercado de trabalho em São Paulo cresça e se inove cada vez mais”.

Para conhecer os cursos da Maxim, basta acessar http://maximcursos.com.br/new/todos-os-cursos/.

 

Maxim Cursos realiza Projeto Pós-Graduação em São Paulo


IMG-20160125-WA0000

“O mercado em São Paulo está carente”, destaca o coordenador das pós-graduações Samuel Queiroz

A Maxim Cursos realizou no último sábado (23) um evento do Projeto Pós-Graduação em São Paulo, para falar sobre suas duas pós-graduações: Proteção Radiológica em Aplicações Médicas, Industriais e Nucleares e Radioterapia, com ênfase em técnica e protocolo de tratamento. Os cursos serão realizados na cidade a partir de março.

O evento teve o objetivo de explicar a ementa e o cronograma dos cursos para os interessados em fazer as pós-graduações. O instrutor da Maxim e coordenador dos cursos, Samuel Queiroz falou sobre o mercado de trabalho de Radiologia e Radioterapia e contou um pouco das suas experiências profissionais. Ele apresentou a estrutura dos cursos, o corpo docente, explicou como serão as aulas, as visitas técnicas e aulas práticas e ainda falou um pouco sobre o trabalho de conclusão de curso que os alunos terão que apresentar ao final de cada curso.  Os candidatos conheceram ainda as estruturas e funcionalidades do programa, além de terem sanado todas as dúvidas.

Os cursos têm perfil inovador e características importantes para o público de São Paulo, como destacou o coordenador. “Foi um encontro muito bom. Serviu para esclarecer os objetivos, justificativa, professores e programação. A gente espera mais um resultado positivo em São Paulo. Aqui nós encontramos uma perspectiva diferente de alguns lugares do Brasil. Nós vemos que o mercado da Radioterapia e Proteção Radiológica se encontram carentes em São Paulo”, comentou Samuel, que destacou a grade, ementa e os temas inovadores propostos como os diferenciais dos cursos.

Os dois cursos contam com aulas em sábados alternados, das 8h às 17h. Em São Paulo, a aula inaugural será no dia 05 de março, em Fortaleza será dia 18 de março. As aulas em Brasília ainda não tem data para começar. No Rio de Janeiro, as aulas têm início no dia 20 de fevereiro.

Os cursos são destinados à pessoas com curso superior completo que buscam especialização nas áreas de Radiologia ou Radioterapia, dois mercados que estarão aquecidos nos próximos anos. As inscrições em todas as cidades ainda estão abertas. Para se matricular, acesse a área “Todos os Cursos”.

Pós-graduação é um diferencial em tempos de recessão

books-1082942

O curso é um dos principais itens que compõe um currículo bem construído.

Foi-se o tempo em que possuir um diploma de graduação era diferencial competitivo. Em período de crise dentro do mercado de trabalho, que cada vez mais se mostra exigente, é importante o aperfeiçoamento de aptidões e competências. Isso não é especificação somente para quem está à procura de um emprego, mas também para quem já está empregado. Nesse sentido, destaca-se a importância de qualificação profissional com cursos de pós-graduação.

A razão é simples. Além de mirar em sua área de atuação específica, o profissional que aposta em um curso de pós-graduação absorve conhecimento, aprende ferramentas que rendem melhorias reais ao dia-a-dia das instituições, atualiza os conhecimentos e amplia o networking. Matriculado na Proteção Radiológica da Maxim Cursos, Leandro Bruno acredita que o mercado está em expansão e o curso tem uma boa base para qualificação.

“Fiz um curso na Maxim e percebi que os professores são bastante qualificados, gostei da estrutura e do modo de ensino facilitado. Apesar das recessões, eu acredito que o mercado de radiologia vai bombar no Brasil. Em tempos difíceis, se destaca quem está melhor preparado. Esse é o meu segredo pra enfrentar a crise”, disse Leandro.

Além de se manter ativo em tempos difíceis para a economia, apostar em uma pós-graduação coloca o aluno em um patamar mais elevado, em um mercado que busca por profissionais mais qualificados, com maior conhecimento na sua área de atuação. A experiência e o aprendizado obtidos nos bancos das universidades já estão longe de ser suficientes para garantir destaque. É o caso de Alexandre Brasil, que será aluno da nossa pós-graduação em Radioterapia.

“Eu percebo que fatalmente o ensino superior tem perdido um pouco a preocupação de fato educar e transmitir conhecimento. Percebi que ainda faltava alguma coisa no meu aprendizado e por isso optei pela pós na Maxim. Eu tenho planos de um dia dar aulas e acredito que posso usar o aprendizado da Maxim como instrumento replicador”, concluiu o estudante.

Os cursos da Maxim tem como principal missão, treinar profissionais da área radiológica em consonância com as resoluções da CNEN. Sempre com foco em inovação tecnológica, confiabilidade, transparência, ambos aliados à educação continuada, colaborando com a sociedade, para que os profissionais formados e treinados atinjam alto nível de excelência de aprendizado.

Maxim abre turma de pós-graduação em Fortaleza

Pós Fortaleza.cdr

Cidade receberá pós de Proteção Radiológica em Aplicações Médicas, Industriais e Nucleares

A Maxim Cursos está com matrículas abertas para a pós-graduação em Proteção Radiológica em Aplicações Médicas, Industriais e Nucleares na cidade de Fortaleza. O curso terá início em março e tem previsão para terminar em maio de 2017. As aulas serão realizadas as sextas, sábados e domingo, um final de semana por mês. Em outubro, a Maxim finalizou com sucesso a primeira turma do curso na cidade.

O objetivo do curso é formar supervisores e desenvolver gestores capacitados para os controles regulatórios e operacionais da proteção radiológica e para a utilização segura de fontes de radiação em todas as suas aplicações. O curso oferece uma formação teórica e prática das recomendações e normas nacionais e internacionais sobre proteção radiológica e suas implementações.

O curso é regularizado pelo MEC e seu corpo docente é reconhecido no mercado e supera as exigências do órgão, que estipula a presença de 50% de especialistas e 50% de mestres e doutores. Como parceira na realização dessa pós, a Maxim tem a Facab, instituição que também credenciada pelo MEC.

Os formados pela pós, recebem o título de especialista e o certificado é válido em todo o território nacional. Os participantes devem ter uma formação superior nas seguintes áreas: engenharia, física, química, biologia, tecnólogo em radiologia, enfermagem, farmácia, area da saúde e outras afins. As inscrições podem ser feitas pelo site, na área Todos os Cursos, ou na Rua Teresa Cristina, nº 953, em Fortaleza.