Quais são as áreas de atuação da radiologia industrial?

foto-externa-curso-de-tecnicas-analiticas-com-enfase-em-inspecao-por-raios-x

A radiologia industrial está presente em uma grande variedade de setores, o que faz com que ela ofereça uma série de áreas de atuação profissional. Listamos cinco atividades que contam com a atuação de um profissional de radiologia industrial.

#1 – Inspeção Corporal

Equipamentos de radioinspeção corporal, os chamados bodyscan, são aqueles que podem detectar objetos metálicos e não metálicos escondidos no corpo de uma pessoa através dos raios X, tais como, armas, drogas, explosivos, pedras preciosas etc. Assim sendo, são muito mais eficientes que detectores de metais e outros. Contrariando a legislação brasileira, atualmente quem opera esses sistemas em presídios são agentes penitenciários dotados de minicursos de 8 horas sobre o tema. A Lei 7394/85, regulamentada pelo Decreto 92790/86, regulamenta os profissionais Tecnólogos e Técnicos em Radiologia. A Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), órgão que regula a área, torna obrigatório um programa de capacitação dos profissionais operadores desses equipamentos.

#2 – Inspeção de Cargas e Contêineres

A inspeção de cargas e contêineres faz uso de aceleradores lineares de alta energia, onde são aplicados em estradas, divisas, fronteiras, portos e visa evitar que armas, drogas ou mercadorias falsas e irregulares entrem e circulem pelo país. Nos últimos anos, esse tipo de inspeção tem recebido grande investimento, principalmente pelo seu auxílio na área de segurança pública.

#3 – Radiografia Industrial

A radiografia industrial é uma poderosa ferramenta de controle de qualidade que faz o uso de fontes radioativas de Ir-192, Se-75, Co-60, todas utilizadas nas indústrias automotivas, indústrias navais, industrias siderúrgicas, aviação e materiais bélicos, como explosivos. Também possui ampla aplicação nas indústrias de petróleo e petroquímicas.

#4 – Medidores Nucleares

São dispositivos que usam fontes de radiação associadas a um detector, que permite por atenuação ou espalhamento da radiação, saber se o material medido está ou não presente no nível pré-estabelecido. Existem muitos tipos de medidores e muitas aplicações. O profissional poderá atuar em diversas áreas, dentre elas: setor alimentício, bebidas, cimenteiras, concreto, embalagens, fertilizantes, metalúrgico, mineração, papel e celulose, petrolífero e petroquímico e siderúrgica.

#5 – Perfilagem de poços de petróleo

No setor petrolífero, as técnicas nucleares são utilizadas na perfilagem de poços de petróleo que consiste na medida e registro contínuo de determinados parâmetros ao longo das paredes de um poço. Para isto, utiliza-se uma sonda de medição que é introduzida progressivamente na perfuração. A interpretação de gráficos resultantes ajuda a determinar a localização, quantidade e produtividade de óleo e gás do poço. Nestas sondas utilizam-se fontes radioativas de Césio-137, Cobalto-60 e Amerício-Berílio-241.

Se interessou por alguma dessas áreas? Então se matricule em um dos nossos cursos e se prepare para trabalhar! Clique aqui e conheça as nossas turmas.

Cursos de férias são a oportunidade perfeita para pessoas com pouca disponibilidade

corcovado

Com o mercado de trabalho cada vez mais concorrido, principalmente pelo momento de crise pelo qual o Brasil está passando, a maioria dos profissionais se vê obrigado a procurar por mais qualificação. Porém a falta de tempo, por conta da rotina quase sempre corrida, é a principal barreira.

Por essa razão, cursos realizados em períodos em que, geralmente, ocorrem férias (como final e começo do ano) são uma excelente oportunidade. Pensando nisso, a Maxim abriu uma turma para o Curso de Formação em Radiologia durante o período de férias, em janeiro. O curso terá cinco semanas de duração e terá início no dia 16. Apesar de menor, o curso terá o mesmo programa dos cursos extensivos e o aluno não perderá nada.

Participando do curso, o aluno e a aluna estarão aptos para operar qualquer tipo de emissor de radiação ionizante industrial e, além do cargo de operador, poderá assumir o cargo de técnico de radioproteção ou, até mesmo, supervisor de proteção radiológica substituto, desde que comprove a conclusão do nível superior. A atuação abrange diversas áreas da indústria, dentre elas: o setor petroquímico e petrolífero, metalúrgico, papel e celulose, eletromecânico, naval, nuclear, automotivo, mineração, siderúrgico, bélico, segurança em portos e fronteiras etc. O aluno precisa ser formado como técnico ou tecnólogo em Radiologia ou estar em fase de conclusão para se matricular no curso.

A matrícula para o curso já está aberta e pode ser feita através do site www.maximcursos.com.br.

Maxim marca presença em simpósio internacional sobre NORM

Professor Francisco Cesar, Janette Nogueira e Samuel Queiroz, coordenador de pós-graduação da Maxim Cursos.

Professor Francisco Cesar, Janette Nogueira e Samuel Queiroz, coordenador de pós-graduação da Maxim Cursos.

Entre os dias 18 e 21 de outubro, aconteceu no Rio de Janeiro o VIII Simpósio Internacional sobre Material Radioativo de Ocorrência Natural, no Hotel Vila Galé, na Lapa. O evento, realizado pelo Instituto de Radioproteção e Dosimetria, em cooperação com a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), é uma importante plataforma para que a indústria, universidades e órgãos regulatórios possam compartilhar experiências, acompanhar resultados e desenvolvimentos obtidos, além de identificar oportunidades e demandas da sociedade sobre o tema.

Adriano Luis Rodrigues Ferreira

Adriano Luis Rodrigues Ferreira

Reunindo profissionais renomados na área, o simpósio é uma importante vitrine para o mercado. Por isso, ele foi especial para dois alunos formados na pós-graduação de Proteção radiológica nas aplicações médicas, industriais e nucleares, da Faculdade de Casa Branca (FACAB) e da Maxim Cursos. Janette Nogueira da Silva e Adriano Luis Rodrigues Ferreira tiveram seu trabalho conclusão de curso selecionado para ser apresentado no evento, no formato de poster. No final, o orientador da dupla, professor Francisco Cesar, fez uma apresentação oral curta na reunião plenária. O tema do trabalho foi “Radiological risk classification of NORM industries in Brazil”.

Professor Francisco Cesar e Janette Nogueira da Silva.

Professor Francisco Cesar e Janette Nogueira da Silva.

“Foi uma excelente oportunidade de estar no meio de profissionais gabaritados de diversos países, debatendo e expondo suas experiências. É gratificante saber que fomos assertivos na escolha do tema de nossa dissertação. Estar no simpósio abre nossa mente para novos conhecimentos e outros campos de trabalho diferente do que a gente faz atualmente!”, comentou Janette, que já atua como engenheira de segurança do trabalho.

Professor Francisco Cesar faz a apresentação oral do trabalho

Professor Francisco Cesar faz a apresentação oral do trabalho

“A participação dos alunos no evento, com apresentação do trabalho técnico, demonstrou que a pesquisa realizada durante o TCC foi de interesse para os pesquisadores da área de NORM, demonstrando assim, a relevância do trabalho realizado”, destacou o professor Francisco.

Maxim abre curso de férias no Rio de Janeiro

Rio de Janeiro

A Maxim Cursos está com inscrições abertas para o Curso de Férias de Formação em Radiologia Industrial, no Rio de Janeiro. As aulas acontecerão no Centro da cidade e terão início em janeiro de 2017. O curso terá duração de quatro semanas.

Participando do curso, o aluno e a aluna estarão apto para operar qualquer tipo de emissor de radiação ionizante industrial e, além do cargo de operador, poderá assumir o cargo de técnico de radioproteção ou, até mesmo, supervisor de proteção radiológica substituto, desde que comprove a conclusão do nível superior. A atuação abrange diversas áreas da indústria, dentre elas: o setor petroquímico e petrolífero, metalúrgico, papel e celulose, eletromecânico, naval, nuclear, automotivo, mineração, siderúrgico, bélico, segurança em portos e fronteiras etc. O aluno precisa ser formado como técnico ou tecnólogo em Radiologia ou estar em fase de conclusão para se matricular no curso.

Os cursos de férias são uma boa oportunidade, principalmente para aquelas pessoas que não possuem muito tempo disponível. Eles são mais rápidos e o estudante ou o profissional aproveita o tempo livre para se qualificar.

Para se inscrever nas próximas turmas na Maxim, basta acessar http://migre.me/t5LFC.

O surgimento e o desenvolvimento da mamografia

Radiologist reviewing results of patients mammogram

Dezoito anos após o surgimento dos raios-x, começaram a ser feitas radiografias de lesões mamárias. A primeira foi realizada por Albert Salomon, cirurgião alemão, que radiografou peças cirúrgicas, obtidas de cirurgias de mastectomia e encontrou pequenos pontos denominados de “microcalcificações”.

A mamografia é uma técnica radiográfica que faz uso de um tubo de raios X, com características específicas e que está acoplado a um arco móvel, o qual possibilita um direcionamento angular do feixe adequado aos diversos tipos de incidência: médio-lateral-oblíqua, crânio-caudal etc. O sistema mamográfico possui ainda uma bandeja de compressão cuja finalidade é homogeneizar a espessura da mama e mantendo-a imóvel ao mesmo tempo. O sistema de detecção faz uso do tradicional conjunto telafilme. No entanto, o filme de mamografia deve ser especial e de alto contraste para que possa compensar o baixo contraste inerente ao tecido mamário. A técnica radiográfica empregada é de baixa quilovoltagem e alta miliamperagem.

A primeira máquina dedicada à mamografia foi lançada em 1966. Até então, as imagens mamográficas eram produzidas por máquinas convencionais de raios-X, que produziam imagens muito pobres e aplicavam altas doses de radiação no paciente. Após o surgimento da primeira máquina, diversas empresas passaram a fabricar modelos semelhantes e deram origem à primeira geração de mamógrafos.

Em 1977, surgiu um novo modelo, que trazia tubos de raios X, possuindo dois pontos focais: um de tamanho nominal igual 0,45mm para a mamografia convencional de contato com o filme e outro chamado de microfoco, de tamanho nominal igual a 0,09mm, próprio para a realização de projeções ampliadas de regiões da mama. A segunda geração de mamógrafos teve início em 1980 e reduziu significativamente o tempo de exposição e a confiança do paciente durante o procedimento.

No Brasil, o surgimento da mamografia está intimamente associada ao Instituto Brasileiro de controle de Câncer (IBCC) que, em 1971, trouxe o primeiro mamógrafo para o país equipamento que protagonizou uma das maiores conquistas da mastologia no país.

O mamógrafo deve ser operado por um profissional de radiologia, para garantir a segurança do paciente e do operador. O exame é seguro e não coloca a saúde do paciente em risco. A mamografia é indicada, geralmente, para mulheres a partir dos 40 anos, como prevenção ao câncer de mama. As mulheres também devem fazer regularmente o autoexame de toque.

A relação da radiologia com a medicina

Em 1895, Wilhelm Conrad Roentgen descobriu uma energia eletromagnética capaz de atravessar o corpo humano e ser captada por um filme foto-sensível, que ficou conhecida como raios X. Desde então, os raios X têm sido um dos itens mais importantes no diagnóstico de patologias e a radiologia médica tornou-se uma especialidade. Passados 105 anos, ainda é um dos principais exames de triagem médica.

A radiologia tem sido usada para diagnosticar e tratar condições médicas, sendo o alicerce fundamental no ramo da saúde nos últimos tempos. A radiologia é dividida em dois distintos campos que são o diagnóstico e o terapêutico. A radiologia de Diagnóstico é usada pela medicina para diagnosticar condições que a pessoa se encontra utilizando vários tipos de diferentes imagens. Isso auxilia e permite que o médico olhe no interior do corpo humano.

Já a radiologia terapêutica auxilia no tratamento do câncer e de outras doenças, ou seja, ela trata e pode até mesmo curar várias formas de câncer. A radiologia terapêutica também é usada para tratar doenças em que o próprio sistema imune ataca o organismo.

Através da radiologia é possível analisar o corpo humano de várias formas e em diferentes situações. O estudo das radiografias auxilia no diagnóstico de várias patologias. Os exames simples como radiografias de tórax e seios da face na pneumologia, radiografias de todo o sistema esquelético para a ortopedia, entre outros, são exemplos.

Com o passar dos anos, foi possível acompanhar um importante aprimoramento da técnica radiológica e uma significativa e progressiva melhora na qualidade das imagens. Como as novas tecnologias, também foi possível reduzir o tempo na execução dos exames e a diminuição da necessidade do uso de meios de contraste em determinados procedimentos. A radiologia um importante instrumento de estudo, destacando-se a capacidade de reconstrução de imagens em terceira dimensão a qual permitem pormenores para procedimentos cirúrgicos, medição de tumores e uma infinidade de outras situações na medicina.